A criação, organização e consolidação das Escolas das Mestras Pias Filippini
permaneceram ligadas a dois nomes: Cardeal Marco Antonio Barbarigo e Lúcia Filippini

O Cardeal Marco Antonio Barbarigo

Nasceu em Veneza, Itália, aos 6 de março de 1640 e faleceu em 26 de maio de 1706, em Montefiascone, depois de ter feito de sua vida uma doação a Deus, presente nos irmãos e irmãs do povo.

História da fundação

Em 1692, com a ajuda de Lúcia Filippini e Rosa Venerini, o Cardeal Barbarigo fundava as primeiras escolas para o povo, na sua diocese, que mais tarde concretizaria a obra do Instituto de Educação e Assistência Lúcia Filippini. O seu objetivo era a "Educação Cristã da Juventude", que se realizava através das escolas, consideradas pelos fundadores "o ambiente mais apropriado para a formação integral do ser humano".

Lúcia Filippini, com sua presença, com seu entusiasmo e encorajamento, ampliou o círculo das fundações na Itália. Depois da primeira escola para as jovens de Montefiascone em 1692, muitas outras obras foram abertas.

Lúcia é a Educadora do povo. Nos irmãos e nas irmãs, ela vê o próprio Cristo, ama-O, confunde-se com Ele, vive, e dá a sua vida a serviço do próximo.

Após a morte de Lúcia Filippini, as Mestras Pias continuaram sua obra de formação e evangelização da criança, do jovem e da mulher, na Itália, expandindo-se nos Estados Unidos, Inglaterra, Suíça, Brasil, Irlanda, África (Etiópia e Eritréia) e Índia (Andhra Pradesh).

Em 2 de maio de 1962, Madre Ninetta Jonata, enviava para o bairro da Freguesia do Ó, São Paulo, Brasil, as cinco primeiras Mestras Pias Filippini, atendendo ao apelo do Papa João XXIII às Superioras Gerais das diversas Congregações de Roma: "Ajudai-me a salvar a Fé na América Latina".

Lúcia Filippini

Nasceu em Corneto, Tarquínia, Itália, em 13 de janeiro de 1672. Faleceu em Montefiascone, em 25 de março de 1732 e foi canonizada em 22 de junho de 1930, pelo Papa Pio XI.

Colégio no Brasil

A fundação brasileira cresceu rapidamente estendendo seu campo de atuação em outros centros, na cidade e no Estado de São Paulo, bem como em outros estados: Bahia, Rondônia, Mato Grosso e Goiás. O Colégio Santa Lúcia Filippini foi fundado em 1964 por Madre Ninetta Jonata, na época, Superiora Geral do Instituto.

Desde 1963, Padre Achilles Silvestre, primeiro Vigário da Paróquia de Itaberaba, havia confiado às Mestras Pias a antiga escola Paroquial Santa Cruz. Em 1968, ele entregou definitivamente a escola, que passou a denominar-se Escola Primária Santa Lúcia Filippini.

Em 3 de março de 1964, iniciavam-se as aulas no então Ginásio Santa Lúcia Filippini (primeiro nome deste Colégio). Foram matriculados oitenta e seis alunos, formando-se duas classes da antiga 1ª série ginasial. Estando o prédio da escola ainda em construção, uma classe funcionava no auditório e a outra na garagem da casa das Irmãs.

A primeira diretora do Colégio foi a Irmã Mary Ann Patti, que nele permaneceu até o final de 1970.